Como criar sua coleção e compartilhar com os amigos

Este tutorial irá explicar como criar uma coleção no REUSOS e depois compartilhá-la com amigos.

  1. Cadastrar um Local para “conter” os itens da sua coleção
  2. Cadastrar os itens da coleção no local cadastrado
  3. Criar uma Tribo para compartilhar a sua coleção
  4. Publicar os itens da coleção na Tribo que você criou
  5. Convidar amigos para participar da Tribo

Passo 1 – Cadastrar um Local para “Conter” os itens Cadastrados

No seu navegador de internet, acesso o REUSOS em https://app.reusos.com/. Através do menu suspenso, entre na aplicação ou registre-se.

Logo após entrar ou registrar-se, você será levado ao painel de controle. No Painel de controle, você pode acessar a área de criação de Locais ou clicar no ícone de criação rápida.

Forneça as informações necessárias e crie o Local que irá conter os itens da sua coleção. Um vídeo mostrando o processo pode ser encontrado em: https://youtu.be/BHfkq-a5_0E 

Passo 2 – Cadastrar os itens da coleção no local cadastrado

Na tela inicial do local que você encontrará o ícone para criar o cadastro de cada um dos itens da sua coleção.

Usando as características de cada item, siga os passos que são apresentados na tela. Um vídeo mostrando o processo pode ser encontrado em: https://youtu.be/sNnQ-xifFRA

Passo 3 – Criar uma Tribo para compartilhar a sua coleção

Agora você já deve ter os itens da sua coleção criados e organizados dentro de um local no REUSOS. Agora, para poder compartilhar sua coleção, você deverá criar uma tribo, e convidar as pessoas que gostaria que participassem . A tribo funciona como um grupo de pessoas de interesses comuns.

Para criar uma tribo você deve acessar a área de Conexões/tribos no menu do topo das páginas do REUSOS. Uma vez dentro do menu de tribos, você poderia criar uma nova tribo.

Quando clicar no botão [+Nova tribo], voce preenchera um cadastro simples que inclui as seguintes informações obrigatórias:

  1. Nome da tribo
  2. Visibilidade: Você definirá se a Tribo é apenas para convidados ou para qualquer pessoa que quiser participar
  3. Tipo: Você definirá se a tribo é virtual (independe do local), ou se é regional (existe para pessoas que estão em determinada região)
  4. Propósito: Inclua um breve parágrafo descrevendo o motivo que use as pessoas que farão pate da tribo.
  5. Idioma
  6. Local Principal
  7. Se você definiu a tribo como [Regional], no campo de tipo (c. acima) precisará definir a região até a cidade (pelo menos)
  8. Foto (Obrigatório): Irá ser utilizada para facilitar a navegação para você e os outros participantes da Tribo.

Obs:  Um usuário básico/gratuito tem direito a criar até 2 tribos, mas pode participar de quantas quiser desde que seja convidado pelo gestor.

Passo 4 – Publicar os itens da coleção na Tribo que você criou

Agora que você já tem os itens da sua coleção organizados em um local e criada uma tribo, poderá publicar sua coleção na  tribo para que todos possam ver.

Para fazê-lo, navegue até a tela principal do local criado para organizar os itens, selecione todos os itens que quiser publicar/listar, e use os comandos abaixo do catálogo de itens para publicá-los na tribo da coleção.

Passo 5 -Convidar amigos para participar da Tribo

Agora que você “inaugurou” a tribo com seus itens da sua coleção, você poderá convidar amigos para participar. Para fazê-lo, navegue até a tribo que você criou (Conexões/Tribos) e clique no botão para editá-la. 

No modo de edição você encontrará a área de  “Convidar membros”. Para convidar alguém, basta digitar o endereço de email desta pessoa. Se ela já foi usuária do REUSOS, será adicionada automaticamente receberá um aviso. Se ainda não for usuária, receberá um email dizendo que você a está convidando.

Um vídeo mostrando estas 3 últimas etapas do processo pode ser encontrado em: https://youtu.be/r9wbYA6BgZc

Consumo e sustentabilidade

Quando escrevo este post, em novembro de 2020, estamos próximos a uma “Black Friday”, mais um “ritual” exportado dos EUA para o mundo. Acabo de ver uma propaganda no youtube de um grande varejista dizendo que já é para as pessoas esquentarem seus motores… e depois começam um derramamento de ofertas de produtos.

Um levantamento realizado com 2.100 consumidores, entre os dias 2 e 6 de novembro, indica que 52% das pessoas pretende comprar algum item em 27 de novembro (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

E ai fico imaginando quantas coisas aparentemente baratas, mas de má qualidade, e desnecessárias, serão adquiridas. Vão se somar a tudo que as pessoas já tem. Enquanto isto, uma outra enormidade de “coisas”, algumas delas de ótima qualidade, ficam sem uso nos nos armários ou nos porões das casas de pessoas que enfrentam dificuldades em dar um uso adequado ou passá-las em frente.

Estamos ainda vivendo a multi-pan-crise causada pelo COVID-19, e repensando o modelo de vida que temos. Dentre alguns outros temas, estou especialmente atento às questões de consumo e sustentabilidade. Fico observando as discussões de influenciadores que apresentam perspectivas diferentes, mas sem a intenção (a primeira vista) de encontrar o meio-termo.

A proposta de equilíbrio entre estas questões, apresentada como Consumo Sustentável, sugere que se consuma melhor e menos levando em consideração os impactos ambientais, sociais e econômicos das empresas e dos seus produtos (cadeias produtivas). Este equilíbrio também depende da redução do desperdício ou improdutividade daquilo que se adquire. Este consumo precisa ser sustentável em todos os sentidos: desde a compra, uso e até o descarte.

O Projeto REUSOS é um curador de idéias e ferramentas para que cada indivíduo possa praticar verdadeiramente este equilíbrio. Estas idéias promovem ações que podem ser categorizadas em 8 grupos:

Tipo de açãoDescrição
(1)Escolher ModeloNem todo produto precisa ser adquirido. Existem outros modelos para beneficiar-se de um produto de forma eficaz para a necessidade real de um indivíduo.
(2)OrganizarPara conhecer aquilo que se tem, e como se usa. E assim permitir decisões futuras
(3)Re-significarProdutos podem ter diferentes propósitos e usos.
(4)CompartilharPermitir que o mesmo produto possa atender a vários indivíduos em diferentes momentos, e remunerar o dono.
(5)AlugarPermitir que um produto possa atender a um indivíduo diferente do dono, e remunerá-lo por isto.
(6)Vendertransferir a propriedade de um produto para um indivídio que possa dar uso mais eficaz, e receber uma remuneracão por isto.
(7)Doartransferir a propriedade de um produto para um indivídio que possa dar uso mais eficaz, ainda que não seja remunerado por isto.
(8)Reciclarreintegrar o material que compõe o produto ao ciclo produtivo, aumentando a eficiência do ciclo.

Falaremos mais destas ações nas demais reflexões. Espero que se empolguem e embarquem nesta jornada. É isto por agora.

Vida longa e próspera para suas coisas!

Alongando a vida útil

Como comentamos no post sobre a busca do equilíbrio, os 8 tipos de ações tem um efeito bastante simples na vida útil dos bens que possuímos: alongá-la.

O gráfico acima mostra as curvas típicas de utilidade versus tempo para o caso de utilização básica (área mais escura) e para o caso de utilização expandida (área mais clara) por reusos. As áreas destes gráficos podem ser entendidas como o valor útil destes bens, ou quanto um eles atendem atender às necessidades de um, ou mais, indivíduos. Nesta representação gráfica, intui-se que o uso total (Ut) pode ser multiplicado significativamente se considerarmos os reusos:


(Utotal = Ubásico+Uexpandido, onde Uexpandido ~ Ke*Ubásico)

Ke é o fator de expansão da vida útil em decorrência dos reusos


Se, como na ilustração, tivemos um fator Ke = 200%, podemos concluir que para este item, se todos forem eficientemente “re-usados”, precisaríamos apenas de 1/3 deles para a mesma necessidade.

Um dos objetivos do projeto REUSOS é medir o potencial Ke para um grupo crescente de categorias de bens e compartilhá-los com a sociedade.

E isto traz benefícios para os indivíduos, para a sociedade e para o meio ambiente. No entanto, também tem um efeito inicialmente danoso para as empresas que produzem estes bens. Em um primeiro momento, as vendas começarão a cair, mas alguns efeitos benéficos bom ser capturados para re-estabilizar e retomar crescimento da indústria:

  • Aumento da percepção de valor de um bem (desde que seja durável), o que pode ser, em parte, transferido para o preço.
  • Redução de custo de produção pela reciclagem do material utilizado.
  • Novas demandas de serviços associados aos bens de vida mais longa.

É importante, para que todos possam se adequar a nova proposta, que esta transição ocorra de forma gradativa mas crescente em intensidade. E que estejamos cientes que muitos obstáculos serão encontrados no caminho.

Os desafios a serem vencidos

No caminho de praticar reusos e extender a vida util nos seus bens, vamos encontrar problemas estruturais e pessoais que precisaremos vencer. Aqui veremos um ensaio sobre as possíveis soluções.

Se as possibilidades de reuso (ou uso alongado) são tantas, porque então a prática delas não é a regra mas sim a exceção? A resposta não é muito óbvia, mas de forma simplista: “existe dificuldades a serem superadas” ou “facilidades precisam ser criadas”.

  • Dificuldade de identificar oportunidades de REUSOS pelo indivíduo: Muitos de nós não temos inventário dos itens não utilizados porque esquecemos de tudo o que escondemos no armário. Também não sabemos o estado em que estão. Em uma reorganização recente da farmácia aqui de casa, descobrimos que 2/3 do que tínhamos, que representava um bom dinheiro, esta fora da validade. Na mudança de casa que fizemos em 2019, arrumamos 15 caixas com livros e acabo de me lembrar que boa parte delas ainda estão na casa da minha sogra.
  • Modelo de Distribuição Física inexistente ou custoso: Imagine que voce tenha uma maquina de furar, em ótimo estado, que poderia ser usada por muitas pessoas no seu bairro (ao invés de terem que comprar outra). Como estas pessoas poderia acessá-lo para pegar e devolver a maquina. Estariam motivadas a faze-lo?
  • Riscos de Proteção ao Bem: O uso de um bem gera desgaste, mas pessoas sem cuidado podem fazer com que ele seja muito acelerado. Como se proteger destes casos?
  • Riscos de Proteção ao indivíduo: O contato direto entre os indivíduos que possuem os que desejam usá-la pode envolver riscos pessoais. Criar mecanismos que reduzam estes riscos será necessário para que o processo possa ser mais fluido.
  • Idoneidade do dono ou do usuário: Algumas ações envolvem transações comerciais e a transferência temporária da guarda do bem. Existe o risco de a transação financeira não ser respeitada ou de o bem não ser devolvido.
  • Falta de modelo ou de opções comerciais do Serviço: Algumas ações dependem de um serviço adicional viabilizador, que pode não estar comercialmente disponível.
  • Irrelevância em relação a outras atividades: Alguns indivíduos podem não achar a proposta de REUSO relevante o suficiente e não se engajar na mudança de hábitos que este movimento requer.
  • Inércia da Cultura Consumista: Indivíduos que venham entender a proposta de REUSO ainda assim podem sucumbir aos encantos e sensações do consumismo. Muitas empresas apostam na abordagem de “venda por impulso”.

Todos estes problemas podem ser atacados com inovações em várias áreas, e elas constituem os desafios do projeto REUSOS:

Inovação p/ organizar e mapear oportunidades
Inovação no modelo de Distribuição
Inovação na gestão dos participantes
Parcerias Inovadoras
Inovação na medição do Impacto
Conscientizar

O quadro a seguir resume as alguns destes pontos.